Gente&Conteúdo

02/03/2016

Apenas 8% dos brasileiros são plenamente capazes de compreender e se expressar

Somente 8% das pessoas em idade de trabalhar no Brasil são consideradas proficientes na linguagem, de acordo com pesquisa baseada no Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf). Isso significa que apenas essa parcela da população, considerando o recorte de idade, é hábil para entender e se expressar através de letras e números.

O estudo, chamado "Alfabetismo no mundo do trabalho", foi feito pelo Instituto Paulo Montenegro e pela ONG Ação Educativa. Foram entrevistadas 2002 pessoas entre 15 e 64 anos de idade, divididas entre moradores de zonas rurais e urbanas de todas as regiões do Brasil. Além do teste cognitivo referente ao Inaf, as pesquisas incluíram amplo conjunto de perguntas no sentido de apreender os diferentes espaços sociais de exercício e aprendizado da linguagem como igreja, escola, casa. Isso para buscar compreender as relações entre os níveis de alfabetismo e as atuações das pessoas no trabalho.

A pesquisa considera cinco níveis de alfabetismo funcional: analfabeto (4%), rudimentar (23%), elementar (42%), intermediário (23%) e proficiente (8%). O relatório relaciona as características de cada uma dessas categorias considerando as habilidades necessárias nos diferentes ambientes de trabalho. A categoria encontrada em maior número é a de pessoas com habilidades elementares de interação através da linguagem. As duas primeiras categorias, analfabeto e rudimentar, constituem o que se considera analfabetos funcionais.

O nível proficiente é o mais alto na classificação do Inaf. De acordo com o estudo mencionado, pessoas dentro dessa categoria têm o domínio de habilidades como "elaboração de textos mais complexos, interpretação de tabelas e gráficos envolvendo mais de duas variáveis e resolução de situações-problema de contextos diversos". A capacidade de argumentação e construção de opinião também está no espectro das capacidades do proficiente. Idealmente, qualquer estudante que concluiu o ensino médio deveria se encaixar nessa categoria.

Para entender melhor a classificação, os dados e a metodologia de pesquisa, veja aqui o estudo completo.

*Fonte: Administradores

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

Rocket DeVry Brasil America Sidel Lachmann Covidien GS1 Damásio Mercedes Benz Soter Canal Rural Sabó Junior Diversey Decathlon
http://www.propay.com.br/