Gente&Conteúdo

30/10/2013

Vale a pena terceirizar serviços?

Especialistas concordam que o bom desempenho e o crescimento de uma empresa dependem, em grande parte, da distribuição eficiente das tarefas. Independente do porte do negócio ou da área de atuação, a terceirização é uma alternativa bastante viável para cumprir esta determinação, que, além de tudo, acarreta ainda em economia para a empresa e geração de renda para profissionais por um tempo determinado de longo ou curto prazo.

Para Marcello Gimenez, diretor comercial da ProPay, a terceirização é uma forma da empresa tomadora de serviços focar seus esforços em sua atividade principal e delegar à uma especialista a atividade a ser terceirizada.

Os serviços mais vantajosos a serem terceirizados são aqueles que ocorram com grande periodicidade e não estejam próximos ao nível estratégico da empresa e nunca ligados à sua atividade principal. “Folha de pagamento, administração de benefícios, vigilância, asseio e conservação de áreas, administração predial e condominial são áreas bastante recorrentes em terceirização”, aponta Gimenez.

As funções a serem terceirizadas são bastante vastas. “É possível terceirizar desde o faxineiro até o vice-presidente, basta observar a necessidade e capacidade de gerenciamento da empresa”, explica Alberto Khzouz, diretor executivo do Grupo Arezza.

É importante ainda entender qual a área da empresa que necessita de terceirização ao invés de um profissional contratado, e avaliar os pontos positivos e negativos, não pensando somente no custo da operação. “É necessário que o empreendedor tenha conhecimento da área terceirizada para que consiga acompanhar de perto os processos e não perder o controle da atuação da própria empresa”, coloca Khzouz.

O empresário cita como exemplo a área financeira, que pode ser terceirizada de maneira eficiente desde que um gestor dentro da empresa tenha conhecimento para administrar esta área à distância, caso contrário se torna mais difícil acompanhar os processos financeiros do próprio negócio. Khzouz aconselha que “o conhecimento vale muito na terceirização. Desta forma, antes mesmo de terceirizar, caso não haja um profissional com especializado para gerir o departamento, a empresa deve capacitar gestores para as áreas técnicas, as mais difíceis de serem controladas por leigos”.

Na hora da contratação de uma empresa ou profissional terceirizado, no entanto, são necessários alguns cuidados. “O contrato deverá contemplar sempre a maior quantidade de variáveis possíveis e seus níveis de serviços estipulados, para que não ocorram surpresas na prestação de contas do serviço”, aconselha Gimenez, e alerta ainda que as empresas devem analisar a carteira de clientes da terceirizada, sua saúde financeira e seu histórico no mercado.

Valeu a pena

Para o Grupo Par a terceirização tem sortido resultados positivos desde 2012, quando atribuiu à outra empresa todo o seu processo de folha de pagamento, eliminando a incidência de erros, integrando o departamento pessoal com as áreas contábeis e financeiras e diminuindo o seu quadro de funcionários.

Mais do que buscar eficiência no trabalho que terceirizou, o grupo encontrou uma empresa parceira em que pudesse confiar. “Sabemos que todas as rotinas de folha de pagamento estão sendo acompanhadas de maneira rigorosa. Além da garantia em ter um parceiro para ajudar a empresa nas soluções de RH”, explica Lucas Neves, Gerente de Controladoria e Departamento Pessoal.

Além da função que auxilia o departamento pessoal, a empresa terceiriza também o serviço de limpeza.

*Esta matéria  foi publicada no site Ticket e Gestão

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

Damásio Lachmann Covidien Diversey Mercedes Benz Canal Rural Decathlon Soter Crown Grupo Libra Pamcary Rocket GS1 America Sidel
http://www.propay.com.br/