Gente&Conteúdo

04/07/2012

Por que calcular o Retorno Sobre o Investimento?

Desenvolver pessoas tornou-se indispensável para as organizações que querem assegurar espaço em um mercado altamente competitivo. Até aí, não há novidade alguma. A questão é saber se os investimentos destinados ao desenvolvimento dos talentos estão ou não, de fato, atendendo às expectativas do negócio. Apesar de ser relevante para as empresas, calcular o Retorno Sobre o Investimento (ROI - Return On Investiment) tem sido pouco utilizado pelas empresas brasileiras.

Segundo Alessandra dos Santos Moura, diretora de Desenvolvimento Organizacional da Caliper Brasil, as organizações ainda buscam entender melhor o funcionamento dessa ferramenta.

Em entrevista concedida ao RH.com.br, Alessandra dos Santos Moura sinaliza que dentre os benefícios que gera a quem o adota, o ROI possibilita justificar gastos direcionados a iniciativas voltadas às pessoas. A ferramenta serve como argumento a favor dos benefícios de determinado investimento. "Percebo que o grande desafio para o profissional de Recursos Humanos é vender a ideia de valor agregado. Para se fundamentar isso é necessário criar indicadores. Nessa questão, noto que há muita coisa para ser aprimorada, colocada em prática e aprendida", argumenta. Durante a entrevista, ela apresenta pontos relevantes sobre essa ferramenta, inclusive o passo inicial para que o processo tenha êxito. Confira a entrevista na íntegra e tenha uma agradável leitura!
 
RH.com.br - Mesmo reconhecendo a importância de calcular o Retorno Sobre o Investimento, observa-se que poucas empresas brasileiras adotam essa prática. O que contribui para essa realidade?
Alessandra dos Santos Moura - As empresas ainda estão tentando compreender melhor o funcionamento do ROI, mas o domínio dessa prática é fundamental para que o departamento de Recursos Humanos assuma um papel cada vez mais estratégico nas empresas. O RH está cada vez mais apoiando projetos estratégicos e de negócios, e estamos em um processo de aprendizado sobre esta prática. Acredito que as empresas multinacionais e as de grande porte estejam mais preocupadas com este tema, em função do foco na apresentação de resultados aos investidores e de indicadores para aprovação ou para a justificativa de novos investimentos nos projetos de Recursos Humanos.

RH - Por que as empresas ainda sentem dificuldade em utilizar essa ferramenta?
Alessandra dos Santos Moura - Porque existem alguns retornos de investimentos que são difíceis de serem mensurados, como é o caso de investimento em treinamentos. Estamos falando de resultados abstratos, subjetivos e imprecisos para serem mensurados.

RH - Qual a importância do ROI para uma empresa que vive em um campo altamente competitivo?
Alessandra dos Santos Moura - Quando a área de Recursos Humanos consegue mensurar o retorno de investimentos, tem em mãos informações importantes para apoiar a negociação e a aprovação de novos projetos na área de Gestão de Pessoas, como o desenvolvimento de talentos, além de material para análise e suporte de construção de novos planos de treinamentos. Um RH atuante com este foco consegue, por exemplo, fornecer apoio na Gestão de Negócios para atuar em um mercado mais adverso ou competitivo. 

RH - Qual o valor do Retorno Sobre o Investimento especificamente para a área de RH?
Alessandra dos Santos Moura - O ROI possibilita justificar gastos direcionados a iniciativas voltadas às pessoas. A ferramenta serve como argumento a favor dos benefícios de determinado investimento. Percebo que o grande desafio para o profissional de Recursos Humanos é vender a ideia de valor agregado. Para se fundamentar isso é necessário criar indicadores. Nessa questão, noto que há muita coisa para ser aprimorada, colocada em prática e aprendida.

RH - Quem está apto para conduzir a elaboração do Retorno Sobre o Investimento?
Alessandra dos Santos Moura - É importante você ter na sua equipe de RH alguém que conheça as metodologias do ROI e tenha potencial para lidar com indicadores e controles estratégicos. Essa pessoa deve estar apta para fornecer orientações e treinamentos para esta equipe, para que você possa gerenciar o retorno de investimento nos projetos da área e ter o suporte necessário para atender as demandas de negócio e atuar na gestão estratégica de pessoas.

RH - Qual a melhor forma de se iniciar o ROI?
Alessandra dos Santos Moura - Dentre as várias metodologias para se mensurar o ROI, entendo que a melhor forma de se iniciar o processo é fazendo um levantamento dos resultados já obtidos. É importante que o gestor saiba qual é o atual nível de desempenho das pessoas, bem como o potencial de cada uma delas. Assim poderá definir o grau desejado. O comparativo da situação atual com a almejada mostra qual é o gap existente. A partir desses dados, ele consegue ter um diagnóstico das necessidades de treinamento.

RH - Uma vez realizado o levantamento dos dados citados anteriormente, qual a próxima fase desse processo?
Alessandra dos Santos Moura - Em treinamentos para desenvolvimento de competências comportamentais dificilmente consegue-se mensurar o ROI em resultados financeiros. Nesses casos, o desafio é ainda maior por envolver benefícios subjetivos. Para solucionar isso, recomendamos o uso de indicadores comportamentais mensuráveis pelo desempenho. Os resultados desejados precisam ser definidos e medidos por meio de uma avaliação de desempenho. O caminho é fazer essa avaliação antes e depois da aplicação do treinamento. Também é indicado avaliar o próprio treinamento. Os participantes devem opinar sobre itens como conteúdo, material, instrutor, adequação, entre outros. Compilados esses dados convertem-se em um indicador.

RH - Quais os fatores que contribuem para o êxito do ROI?
Alessandra dos Santos Moura - O alcance de um ROI no desenvolvimento de pessoas envolve passos como um bom diagnóstico, estabelecimento de indicadores, a estruturação de treinamentos adequados e a convocação de pessoas com reais necessidades a serem desenvolvidas. Além disso, também se deve avaliar quem vai ministrar e conduzir o programa tendo o cuidado de alinhar a condução do programa aos resultados desejados.

RH - O que pode comprometer significativamente o cálculo do Retorno Sobre o Investimento?
Alessandra dos Santos Moura - Em um programa de desenvolvimento, existem variáveis que podem estar relacionadas a um resultado não satisfatório. O insucesso de um treinamento pode significar ausência de diagnóstico ou um diagnóstico mal feito. Há casos em que o tema de um treinamento não corresponde ao conteúdo e à necessidade da empresa. Para que o trabalho seja customizado é preciso haver uma proximidade entre o instrutor do treinamento e o contratante. Também pode haver limitações do próprio colaborador. Não há garantia prévia de que determinado investimento faça com que um profissional consiga desenvolver-se. É algo muito subjetivo.

RH - Que considerações a senhora pode deixar registradas, para as organizações que estão dando os primeiros passos rumo ao ROI?
Alessandra dos Santos Moura - Invista tempo para aprimorar a forma de gerenciar o ROI na Gestão de Pessoas. O mercado está cada vez mais exigente e focado em resultados. Com certeza, isso é o diferencial na atuação do profissional de Recursos Humanos, principalmente em empresas que atuam em um mercado mais competitivo.

*Esta entrevista foi publicada pelo  RH.com.br, em 12 de junho de 2012.

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

Canal Rural Damásio Grupo Flytour Pamcary DeVry Brasil Nidera Lachmann Junior Par Corretora de Seguros Mercedes Benz Brasil Máquinas America Covidien GS1 Rocket
http://www.propay.com.br/