Gente&Conteúdo

21/01/2014

Por que as empresas continuam perdendo talentos?

O fato é que muitos gestores e executivos seniores não se importam com as razões pelas quais as pessoas deixam a empresa. É como se eles dissessem: “Se você não gosta de nossa empresa, não deixe que a porta bata em suas costas ao sair!”

Se isso soa familiar, não é sem razão, pois descreve a maneira de pensar da maioria dos gestores. Inclusive, há muitas formas de arrumar explicações para a perda de talentos:

- eles não queriam estar aqui, então por que se preocupar com o que pensam;
- provavelmente eles estavam decepcionados ou tomaram a atitude errada;
- fomos pegos de surpresa;
- ninguém é insubstituível;
- vamos nos preocupar apenas em encontrar um substituto.

Na verdade, os gestores “tapam o sol com a peneira” quando acreditam apenas em razões superficiais que os profissionais alegam ao sair o que os psicólogos dão o nome de “cegueira motivada” para esse fenômeno, ou seja, não conseguem encarar a realidade de que a verdadeira razão pela qual as pessoas saem pode estar ligada a eles próprios, gestores.

Segundo pesquisas do Saratoga Institute, por volta de 89% dos gestores acreditam que a maioria das pessoas saem ou permanecem por questões financeiras. A mesma pesquisa também mostra que de 80% a 90% das pessoas deixam a empresa por motivos relacionados não com o nível de remuneração, mas com a função, o gerente, a cultura e o ambiente de trabalho. Os profissionais começam a ficar desmotivados e pensam em sair da empresa quando, no mínimo, umas das quatro necessidades básicas do ser humano deixa de ser satisfeita:

Necessidade de confiar

Esperar que a empresa e a administração cumpram com suas promessas, sejam honestas e abertas em relação a todas as comunicações, invistam em você, o tratem de forma correta, paguem uma remuneração justa e sejam pontuais em relação a esse pagamento.

Necessidade de ter esperança

Acreditar que você é capaz de crescer profissionalmente, usar e desenvolver suas habilidades profissionais e, por meio de treinamento e desenvolvimento, ter oportunidade de progredir na carreira, o que o levará a ganhar uma remuneração melhor.

Necessidade de se sentir valorizado e respeitado

Acredita que, se você trabalhar com afinco, der o melhor de si, demonstrar comprometimento e fizer contribuições significativas, será devidamente reconhecido e recompensado, conquistará o respeito de todos e será considerado pela organização um bem valioso, não um custo.

Necessidade de se sentir competente à medida que aperfeiçoa suas habilidades

Acreditar que será colocado em uma função na qual poderá utilizar seus talentos, enfrentar desafios, ter oportunidade de aprender a desempenhar suas funções de modo pleno e satisfatório, que o prepare para outras funções, e que você possa constatar os resultados de seus esforços por meio da obtenção de feedback regular sobre seu desempenho.

 
*Esta matéria  foi publicada no site HR Academy

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

Soter Canal Rural Mercedes Benz Damásio America Crown Lachmann Brasil Máquinas Decathlon GS1 Valeo Rocket Covidien Grupo Flytour Diversey
http://www.propay.com.br/