Gente&Conteúdo

29/05/2012

Funcionários, Colaboradores ou Profissionais, como você identifica a sua equipe?

Pare para refletir: Qual a forma que você identifica os integrantes da empresa onde trabalha? Por quê? Atualmente estão sendo utilizadas com bastante frequência nomenclaturas como “colaboradores” para identificar um funcionário. Mas qual é o verdadeiro sentido desse título? Segundo definições conhecidas popularmente, ser um colaborador significa ser um contribuinte, ou seja, aquele que colabora e que ajuda contribuindo de livre espontânea vontade. Logo, ser um colaborador nos remete a um indivíduo que doa seus serviços e que ajuda outros com suas funções sem cobrar nada em troca.

Há empresas que encaram o colaborador como aquele que faz mais do que vender seus serviços: ela os encara como pessoas que propõe melhorias, que faz o máximo de esforço para que a empresa alavanque e sempre esteja em destaque no ramo em que atua. Mas o que realmente acontece dentro das empresas? As pessoas vendem seus talentos e suas habilidades, isso se chama prestação de serviços. Trabalham e em troca são remuneradas, é uma via de mão dupla, nada é voluntário. Tudo isso deve ser encarado com naturalidade já que o mundo se consagra semi capitalista, onde a mão de obra é vendida, comprada e facilmente substituída.

Obviamente existem pessoas dedicadas, que realmente fazem jus ao título de colaborador. Dedicam-se, vestem a camisa da empresa e ajudam o time independentemente do momento e das circunstâncias. Em contraponto, ser chamado de “funcionário” não mais soa agradável, pois parece tratar apenas de mais um subordinado dispensável a qualquer momento. Em sua real definição significa ser um empregado público que pertence a uma hierarquia administrativa.

Já algumas organizações adotaram a nomenclatura “profissional”, esse título parece o inserir no contexto da empresa e faz ele se sentir parte integrante de todo o movimento. É usual, o profissional vende seu profissionalismo e a empresa o compra sem cerimônias.

Parece algo frívolo, mais a forma de identificação de um indivíduo dentro da empresa faz toda a diferença. É justamente por isso que a área de Recursos Humanos habitualmente renova suas nomenclaturas hierárquicas, para acompanhar a particularidade de seus empregados e lhes conceder títulos que sejam confortavelmente justos, que correspondam as suas atividades e ainda que proporcione a sensação de aliança entre o indivíduo e a organização.

A forma que você identifica o time deve estar aliada a cultura organizacional. Cada uma possui suas particularidades. Mas, antes de intitular sua equipe vale uma reflexão: Como você deseja identificá-los e inseri-los no meio dos negócios? Que tipo de relacionamento você quer desenvolver com ele?

*Equipe de conteúdo ProPay
 

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

GS1 Canal Rural Nidera Mercedes Benz Rocket Alphaprint Sabó Covidien ESPRO Valeo Grupo Flytour Diversey Sidel Par Corretora de Seguros America
http://www.propay.com.br/