Gente&Conteúdo

18/09/2014

Especialista em RH defende maior inclusão do idoso no mercado de trabalho

A população brasileira está envelhecendo de forma mais rápida. Isso todo mundo já sabe. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de idosos deve passar dos 14,9 milhões (7,4% do total), contabilizados em 2013, para 58,4 milhões (26,7% do total), em 2060. Com esse crescimento, abre-se um espaço para questionamentos acerca de como eles vivem e do que esperam da vida no atual panorama brasileiro, principalmente sobre a vida profissional que, para muitos, não acabou com a chegada da aposentadoria.

De acordo com Aline Cintra, Recursos Humanos da Monsanto Brasil, a idade para a aposentadoria, ainda definida e praticada nas empresas, é certamente um grande limitador para aqueles que querem seguir em frente, mas esbarram na discriminação da idade.

Confira abaixo a entrevista realizada com a especialista Aline Cintra:

1 - Que atitudes devem tomar aqueles que desejam ter um envelhecimento saudável?

Equilíbrio entre vida pessoal e profissional com maturidade, especialmente adquirida no decorrer da carreira de um profissional, certamente garantirão um envelhecimento saudável. Mesmo no âmbito profissional, cada vez mais as empresas estão adotando práticas com foco em tal equilíbrio.

2 - Quais os cargos mais recomendados para pessoas dessa faixa etária que pretendem continuar no mercado de trabalho?

Consultoria é, sem dúvida, uma das mais indicadas. Isto, porque pessoas experientes são flexíveis, possuem conhecimento e maturidade para discutir temas com clientes internos ou externos. O que vemos no mercado são muitas pessoas da melhor idade em posições em que a experiência é referência em diversos assuntos. É um aspecto muito importante para ocupar a posição.

4 - Quais os principais motivos que levam aposentados a continuarem no mercado de trabalho?

Especialmente executivos com forte conexão com sua vida profissional, que trabalham há muitos anos, têm muita dificuldade em pensar na possibilidade de “ficar em casa” sem horários, compromissos, interações e trocas intelectuais que os mantêm atualizados e em constante desenvolvimento.

6 - O número cada vez maior de idosos no Brasil pode, consequentemente, indicar um futuro maior mercado para essa faixa etária?

Sim, a tendência de envelhecimento maior da população é refletida no mercado de trabalho e nas posições que serão ocupadas por pessoas na terceira idade.

8 - Que outras mudanças, além da continuação da vida profissional, pode tomar o idoso para ter uma vida com mais energia e motivação?

A questão de manter objetivos no curto, médio e longo prazos e propósitos claros de vida devem permear esta melhor idade. Sabemos que viagens, grupos compostos por estes públicos com atividades que são relacionadas aos gostos de todos, podem manter as pessoas na terceira idade realmente ativas.

*Esta entrevista foi publicada pelo portal Administradores em 17 de setembro de 2014.

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

Alphaprint Junior Soter Nidera Diversey Crown Sabó Valeo ESPRO Sidel Pamcary Grupo Flytour Brasil Máquinas DeVry Brasil Damásio
http://www.propay.com.br/