Gente&Conteúdo

12/07/2012

Aumentam as vendas de motos e os acidentes

A cada ano aumenta consideravelmente o número de acidentes fatais envolvendo motociclistas. Segundo último relatório de acidentes fatais divulgado pela CET, no ano passado foram registrados 512 óbitos, no ano de 2010 foram 418 vítimas fatais.  Ainda segundo o relatório, a única categoria que apresentou incidência de óbitos foi a de motociclistas com um aumento de 7,1%.

Além da circulação das motocicletas entre veículos de grande porte - o que as tornam mais frágeis - o aumento considerável de acidentes fatais ocorrem devido ao crescimento da frota de motos. Apesar do aumento de IPI sofrido em 2012 na venda das motos, a flexibilização de créditos ainda beneficia os compradores que constituem principalmente a classe C ou D, permitindo a compra de motos sem entrada e número de parcelas elevadas.

Segundo balanço divulgado pela Fenabrave (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos) no primeiro trimestre de 2012, a venda de motos teve um crescimento de 0,89% (442.506 em 2012 contra 438.634 em 2011). De acordo com a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) o Brasil é o quinto maior produtor de motocicletas do mundo com mais de 2 milhões de unidades fabricadas por ano e uma frota circulante com cerca de 18 milhões de motos.

A relação: Empresa, profissional e moto

Com muitas facilidades e por se tratar de um meio de transporte rápido e que consome pouco combustível, muitos profissionais optam por fazer o trajeto entre residência e trabalho utilizando motocicletas. Se acontecer algum acidente no caminho de casa para empresa ou vice-versa envolvendo o profissional, a empresa pode ser responsabilizada já que “Acidente de Trajeto” é uma interpretação da lei que equipara a acidente de trabalho.

Para evitar esses acasos, as empresas podem investir em meios de transportes próprio ou fretados, o que a empresa não pode fazer é proibir o uso de moto sem oferecer uma solução viável para a substituição. Os profissionais também devem prestar atenção nas declarações dadas à organização, se recebe o Vale Transporte mensalmente, mas deixa de fazer o uso deste para utilizar moto ou carro, poderá ser demitido por justa causa por motivo de fraude.

A CET oferece cursos gratuitos como de “Pilotagem segura para motociclistas”, que visa desenvolver valores de segurança, cidadania e promover o aprimoramento de técnicas de pilotagem através de módulos teóricos e práticos. O público alvo do curso são empresas que buscam o aperfeiçoamento de seus profissionais usuários de motocicletas. Talvez seja uma saída para empresas que dispõe de uma cartela vasta de profissionais que utilizam motocicletas como transporte principal.

*Equipe de conteúdo ProPay
 

Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

GS1 Valeo Par Corretora de Seguros Junior Nidera ESPRO Sidel Canal Rural Lachmann Soter America Grupo Libra DeVry Brasil Covidien Diversey
http://www.propay.com.br/