Gente&Conteúdo

02/08/2012

Jovens executivos, fortes empreendedores

Eles são inteligentes, criativos, entusiasmados, têm boas ideias e são jovens, alguns deles, muito jovens. Quando imaginamos um profissional com esse perfil logo nos vem à mente Mark Zuckerberg, empresário norte-americano que, aos 20 anos, ficou conhecido mundialmente por ser um dos fundadores do Facebook, a maior rede social do mundo.

Mark é apenas um exemplo de um jovem empreendedor bem-sucedido. Aliado a uma boa ideia, havia por trás o perfil de um visionário empreendedor, que soube aproveitar as oportunidades para iniciar o negócio. Há muitos outros cases de jovens executivos de sucesso no mundo todo, que lançam suas próprias empresas, ao invés de “sonharem” com o tão esperado emprego e altos cargos em uma grande multinacional, como fazia a maioria dos recém-formados décadas atrás.

Os jovens de hoje, preparados com MBAs, fluentes em vários idiomas, vivência internacional, sonham com a independência financeira proveniente do seu próprio negócio. A conquista do poder já não é o desejo mais contundente. Vencer por meio das próprias iniciativas e de ideias revolucionarias é mais que um desejo. É um desafio para todos os jovens preparados.

A novidade é que este sonho só se torna possível quando este jovem, preparado nas melhores universidades, está disposto a aprender rapidamente com os seus erros, entender o comportamento das pessoas e fazer com  que a sua visão seja compreendida por sua equipe. Não basta apenas ter uma ideia genial. É necessário fazer com que esta ideia seja assimilada por todos que irão participar da tarefa de transformar este sonho em realidade.

Uma dica importante, na hora de abrir uma empresa, é contar com o apoio da família, de um professor experiente da faculdade ou dos amigos mais próximos. Muitas vezes, quem vê e analisa a situação de fora consegue enxergar pontos essenciais para o sucesso de uma nova empreitada e erros que podem ser evitados ou corrigidos a tempo. Além disso, a família pode ajudar a capitalizar mais facilmente o empreendimento, ao contrário de bancos, que costumam cobrar elevadas taxas de juros.

Portais de empreendedorismo na internet, sites, blogs e as demais redes sociais são canais estratégicos de relacionamentos e divulgação instantânea. Os futuros executivos podem usá-los para divulgar o novo negócio, conseguir clientes e investidores ou mesmo para angariar crowdfunding (financiamento coletivo). Tudo isso facilita a arrecadação de recursos para os projetos.

É fundamental ter dedicação total à empresa na fase inicial e investir muitas horas do dia no projeto, porque, afinal, a máxima “os olhos do dono engordam o gado” tem-se mostrado verdadeira ao longo dos anos. Por mais que o processo pareça divertido, é preciso levá-lo a sério e ter responsabilidade, porque, apesar de estar no começo, é desta empresa que virá o sustento das pessoas que a integram.

*Sandra Lucena Souto é diretora Marketing e Novos Negócios da ProPay – consultoria, terceirizadora de Folha de Pagamento e Gestão de Benefícios


Clientes

Conheça quem hoje faz a história da ProPay ser um sucesso.

Decathlon Valeo Sidel Diversey Covidien Par Corretora de Seguros Alphaprint Junior Lachmann Soter Mercedes Benz DeVry Brasil America GS1 Grupo Libra
http://www.propay.com.br/